quinta-feira, 20 de abril de 2017

Neste sábado é apresentado no Funchal o livro «As Receitas da Minha Querida Mãe»

O livro de receitas As Receitas da Minha Querida Mãe, de Katia Aveiro e Dolores Aveiro, será apresentado ao público madeirense no próximo dia 22, na Fnac Madeira Shopping. O evento tem início às 16h. 
De referir que este livro publicado pela EuroImpala Books pode ser também adquirido em qualquer uma das lojas do Diário de Notícias, além de estar disponível nas livrarias.

O lançamento oficial da obra decorreu no passado dia 8, em Lisboa, e teve uma grande afluência de público (ver fotos aqui).

sábado, 15 de abril de 2017

Um novo "livro amarelo" da Guerra e Paz Editores


Apocalipse / Apocalipse
de D. H. Lawrence / João de Patmos

Texto sinóptico
Eis Jesus Cristo, resplandecente, em toda a sua glória. É com essa visão, literária, que este livro começa.
Aqui se inaugura um género novo, como com a Ilíada se inaugurou o poema épico. Que género é este? Apocalíptico, como diz Helder Guégués no breve ensaio que justifica terem-se juntado, neste livro, o texto que o apóstolo João (foi ele?) terá escrito em Patmos e o texto que sobre esse texto escreveu D.H. Lawrence?
E que coisa quer dizer apocalíptico que não seja a Revelação, essa revelação que nos chega, não pelo pensamento e pela razão, mas pelas VISÕES FULGURANTES EM QUE ESTE LIVRO É PRÓDIGO, a começar na visão do Trono onde, semelhante à pedra jaspe e sardónica, Um está sentado, esse Um, que guarda o Livro escrito por dentro e por fora, selado a sete selos, ao seu redor quatro animais cheios de olhos, por diante e por detrás.
Este é um livro profético por ser também o livro de triunfo de seres e coisas imaginárias, das coisas que nunca vimos, mas que hão-de vir, livro da Besta e da obscuridade. Eis um texto seminal, um protolivro, e o que um grande autor, D.H. Lawrence, escreveu sobre esse mesmo livro.

Sobre a colecção Livros Amarelos:
Os textos falam uns com os outros. Amam-se, negam-se, tocam-se uns aos outros.
livros amarelos é o paparazzo da história da literatura e do pensamento: revela as relações comprometedoras de textos célebres. 

«Ensaio Sobre a Cegueira» numa edição deluxe

Uma nova edição única e exclusiva de Ensaio Sobre a Cegueira, de Saramago, é publicada pela Guerra e Paz no próximo dia 19.

Seguno nota editorial, «esta é uma edição única e irrepetível que nasce da amizade do editor José da Cruz Santos com José Saramago, que o juntou a Vasco Graça Moura e Rogério Ribeiro. Desse encontro nasce esta edição raríssima do aclamado romance de José Saramago com prefácio inédito de Vasco Graça Moura e dez ilustrações do pintor Rogério Ribeiro. Uma edição que é também um «livro de arte», que bibliófilos e coleccionadores vão especialmente apreciar.»

São apenas 500 exemplares, publicados em edição de capa dura e lombada de tecido, 320 páginas + 20 a cores, que perpetuam o encontro destes três nomes, num livro que não voltará a ser editado.

Livro infantil de Maria Teresa Maia Gonzalez explica o fenómeno de Fátima às crianças

São inúmeros os livros que desde o início de 2017 têm sido publicados em Portugal com a temática das aparições de Fátima, neste ano em que se assinala o centenário da primeira aparição na Cova da Iria. São livros ensaísticos, uns a exaltar a égide, outros são teorias da conspiração. A extrema maioria destes títulos são direcionados ao público adulto.  


A pensar nos pré-leitores, a Editora Zero a Oito acaba de publicar uma obra infantil sobre Fátima, de Maria Teresa Maia Gonzalez, autora premiada diversas vezes pelo PNL. Tens uma Mensagem, com ilustrações de Carla Nazareth, «é um livro importante, para explicar aos mais novos o que aconteceu num tempo em que tudo era muito diferente do mundo que hoje os rodeia.»

Escrito pela autora de A Lua de Joana, este livro fala sobre a aparição de Nossa Senhora, mas também sobre a importância de acreditar, de comunicar e de ter fé. Um livro que noz traz uma mensagem única: a mensagem de Nossa Senhora e do amor incondicional.


O Livro da Ave-Maria é outro livro infantil da mesma autora e ilustradora, que chegou simultaneamente às livrarias.

sexta-feira, 14 de abril de 2017

Passatempo: «A Última Paragem», de Matt de la Peña e Christian Robinson

https://www.facebook.com/silenciosquefalam/photos/a.187362988008873.45353.178784915533347/1333811700030657/?type=3&theater
A Última Paragem é um livro infantil com texto de Matt de la Peña e ilustrações de Christian Robinson. Esta obra multipremiada internacionalmente (podes ver aqui alguns dos prémios conquistados) foi publicada recentemente pela Editora Minotauro e é o prémio que podes ganhar se fores o vencedor deste passatempo.

Assiste a um vídeo de apresentação do livro, versão inglesa, clicando aqui.

As participações são válidas até ao dia 21 deste mês, na página deste blogue no Facebook (AQUI).

Criar mundos individuais é o objectivo da obra infantil «Quebra-cabeças»

Quebra-cabeças, um livro que aborda temáticas como a diversidade, colectividade e reciclagem, recebeu a Menção Especial na Feira do Livro Infantil e Juvenil de Bolonha em 2016 na categoria de 'Disability'. Esta obra do argentino Diego Bianki, recentemente publicada pela Kalandraka, contém instruções para os pequenos leitores construirem os seus próprios puzzles tridimensionais a partir de objectos que os pais tenham em casa, como embalagens e caixas de cartão usadas (caixas de lâmpadas, de medicamentos, de pasta de dentes, de sabonetes, etc.). O próprio autor diz que para criar a história do livro teve de reciclar muitas e muitas caixas.
Texto de apresentação
"Recuperar, reciclar e reutilizar" é o lema do autor no momento de encarar o processo artístico deste livro. Com uma abordagem simples e original, utilizando caixas de cartão, pintadas e ordenadas como um quebra-cabeças, Diego Bianki cria um mundo de diferentes identidades que, por sua vez, se inter-relacionam. Com este singelo antídoto lúdico contra a discriminação e a exclusão, os leitores são convidados a jogar e a experimentar, acrescentado depois novas combinações, para que cada um construa o seu próprio catálogo de identidades infinitas, tornando este quebra-cabeças cada vez maior..
Sobre o autor
Diego Bianchi (Bianki) (Argentina, 1963)é Professor de desenho e designer (Universidade Nacional de La Plata). É ilustrador, diretor de arte da chancela Pequeño Editor – da qual é cofundador – e autor de livros ilustrados para o público infantil e juvenil. Colabora com jornais e revistas de vários países, para além de participar em festivais e jornadas sobre edição, ilustração e literatura infantil. Pelas suas obras recebeu, entre outros, o Prémio Novos Horizontes da Feira Internacional do Livro de Bolonha (2013), o Prémio Konex de Ilustração 2012 e foi seleccionado para a lista da White Ravens.

quinta-feira, 13 de abril de 2017

Clássico da literatura húngara, de Antal Szerb, chega a Portugal

Viajante à Luz da Lua é uma das obras mais aclamadas de Antal Szerb, uma das principais personalidades da literatura húngara do século XX, e chega pela primeira vez a Portugal com edição da Guerra e Paz e tradução de Piroska Felkai. Estará nas livrarias a partir de 19 de Abril.
Não há ninguém que o tenha lido que o não tenha amado.
Nicholas Lezard, The Guardian


Texto sinóptico
Mihály, um homem de negócios de Budapeste, vai passar a lua-de-mel em Itália com a mulher, Erzsi. Os problemas começam na primeira paragem, Veneza, mas é em Ravena que um antigo amigo de Mihály perturba o casal com histórias do passado.
Ao perder o comboio para Roma, Mihály foge da mulher e vagueia pelo país, numa viagem de autodescoberta. Dividido entre o desejo e o dever, o que quer e o que os outros esperam de si, a boémia da adolescência e as responsabilidades de adulto, Mihály reencontra os seus fantasmas e questiona o sentido da vida.
Amor e morte cruzam-se neste romance trágico-cómico de 1937, uma obra-prima do húngaro Antal Szerb.

Uma nova e cuidada edição de «Moby-Dick» chega às livrarias

Uma das grandes apostas da Editora Guerra e Paz para este mês é Moby-Dick, obra prima de Herman Melville, o mais experimental dos romances, um dos livros mais importantes jamais escritos. Chega às livrarias portuguesas a 19 de Abril e tem o selo da Editora Guerra e Paz. Esta edição, com uma nova, rigorosa e cuidada tradução de Maria João Madeira, inclui, além da caracterização das personagens e do mapa da viagem do navio Pequod, um ensaio de outro grande escritor, D.H. Lawrence, acerca desta obra que o norte-americano Herman Melville publicou em fascículos em 1851.

El-Rei Junot, de Raul Brandão, e As Aventuras de Tom Sawyer, de Mark Twain, são também outros livros que este mês chegam às livrarias pela mão da Guerra e Paz.


Texto sinóptico de El-Rei Junot
Corre o ano de 1807 e Portugal é invadido pelos exércitos francês e espanhol. À cabeça das tropas invasoras vem Junot, militar francês que sonha com a glória. A Corte portuguesa, com medo, foge para o Brasil, e o país vê-se ocupado durante quase um ano. À volta de Junot agrupa-se uma nova corte, chega-se a projectar aclamá-lo como rei. Às atrocidades dos invasores sucedem-se violações, mortes, roubos. Mas o povo revolta-se e juntamente com forças inglesas, Junot é derrotado.
Esta é a história de um dos episódios mais dramáticos de Portugal, narrado por um dos seus melhores escritores. Mais do que um livro de História, mais do que romance, este é um livro único. Um clássico quase esquecido que importa recuperar.

Texto sinóptico de As Aventuras de Tom Sawyer
Um livro saudavelmente selvagem.
Inocência e infância em estado puro.
Rapaz traquinas, Tom Sawyer adora meter-se em problemas. com o seu grupo de amigos, e pelos belos olhos da pequena Becky, ele inventa mil e uma tropelias, que o levam a outras tantas aventuras, por vezes perigosas, mas sempre divertidas.

Texto sinóptico de Moby Dick
Uma das mais esmagadoras obras de aventura e vingança da história da literatura.
Uma baleia, um barco, um homem.
Moby-Dick, obra prima de Melville, o mais experimental dos romances, é a história de um louco e da sua vingança.
Depois de ter sido mutilado por uma baleia, o capitão Ahab procura vingar-se.