domingo, 28 de maio de 2017

Novo livro de poesia de José Tolentino Mendonça

José Tolentino Mendonça tem um novo livro de poesia. Teoria da Fronteira (80 pp.) é publicado a 1 de Junho pela Assírio & Alvim.
A primeira parte deste novo livro abre com a seguinte epígrafe de Gloria Anzaldúa: «Penso na fronteira como o único ponto da terra que contém todos os outros lugares dentro de si», mote para uma poderosa reflexão sobre o amplo significado da palavra fronteira, nas suas múltiplas dimensões e como metáfora emblemática da humanidade, ontem como hoje. Ponto de partida para viagens por terras e cidades, por tempos passados e presentes, peregrinando pelos lugares da amizade, pela solidão, pelo silêncio, pelo corpo.

INVERNO

Na cabana da guarda quando a hora
se faz precipitadamente escura
o peregrino varre
os seus pensamentos e espera
nunca foi tão transparente
o vidro da janela por onde vigia

MÃOS VAZIAS

Mãos vazias são salva-vidas para tempos difíceis
uma afeição a salvo dos especuladores
o seu vazio é uma pedra
e se observares bem ela flutua

as mãos vazias são selvagens na sua beleza
duras mesmo se vulneráveis
são o esconderijo ideal para guardares relâmpagos
e verdades ferozmente concisas

as mãos vazias esperam não o fim mas a fresta
alagadas na ferrugem
e preferem enlouquecer a acreditar
que a realidade é só aquilo que se vê

Sem comentários: